OTTOLENGHI – Londres / London

Meu artigo para a série Londres, Revista Menu, Brasil, junho 2012, adaptado para o meu blog.

* For English version scroll down, please!

Texto: Kiki Felipe

Fotos: Brisa Chander

OTTOLENGHI

O primeiro Ottolenghi delicatessen, padaria, confeitaria e restaurante foi inaugurado em 2002, numa pequena loja em Notting Hill.

Hoje, dez anos depois; quatro lojas, duzentas pessoas na equipe e o restaurante NOPI, aberto no início de 2011.

O lay-out e ambiente brancos são o mesmo para todas as lojas e o nome Ottolenghi, em vermelho, marca a fachada com paixão.

Muitos pensam que o israelense Yotam Ottolenghi é mais um chef vegetariano, que faz sucesso na cosmopolita Londres. Puro engano. Pouco mais de uma década depois da abertura do primeiro Ottolenghi, Yotam se consolidou como um chef criativo, atento às tendências da gastronomia contemporânea, e ousado, a ponto de apostar também no projeto do NOPI, restaurante mais moderno e que tem pratos com carne no cardápio.
Jornalista de formação, Yotam chegou a Londres em 1988 para estudar no Le Cordon Bleu. Comandou a cozinha de confeitaria da badalada delicatessen Baker & Spice, no bairro de Belgravia, antes de partir para voo próprio. Hoje, além das quatro unidades do Ottolenghi, o israelense assina uma coluna semanal de receitas – e não apenas de legumes e vegetais – no The Guardian. No jornal, o chef ensina como preparar pratos vegetarianos, que combinam com as mais diversas carnes bovina, de frango ou suína e peixes. Ele conta que, quando recebeu a proposta para escrever a coluna, hesitou muito antes de aceitar, pois não queria ser reconhecido como vegetariano.


E Yotam deixa claro que não o é, mas sabe que suas lojas ganharam fama devido à diversidade de grãos, como quinua, lentilhas ou favas, ou de legumes e verduras, apresentados de forma inusitada. O figo, por exemplo, é temperado com manjericão; a vagem francesa casa com avelãs e aspargos; o iogurte de açafrão é acompanhado de tamarindo e a salada de dill, salsinha, hortelã e baby rúcula vem numa combinação simples e muito saborosa. O chef dá preferência aos ingredientes orgânicos ou aqueles produzidos localmente, num viés sustentável. Prepara todos os pratos diariamente e todos eles chegam ao salão um pouco antes da hora do almoço. São posicionados na vitrine para que os clientes possam montar suas pequenas refeições e levá-las para casa ou ao escritório. Funcionários checam periodicamente os pratos expostos, para assegurar o frescor e qualidade.

As vitrines das quatro Ottolenghi apresentam bolos, tortas salgadas e doces, saladas, biscoitos e compotas. Em um show de cores e sabores, essas receitas abrem o apetite dos comensais e contrastam com a decoração, sempre na cor branca, do ambiente – o destaque é o nome Ottolenghi, em vermelho. Com o sucesso do Ottolenghi, Yotam e seus sócios decidiram abrir o restaurante NOPI, no ano passado. Na casa, sai de cena a refeição rápida para entrar o restaurante completo, com capacidade para 100 lugares. A fachada e o ambiente continuam brancos, mas o vermelho cede lugar para o dourado. E o cardápio é distinto do Ottolenghi, por mais que mantenha a preocupação com a qualidade dos ingredientes. No menu, destaque para o galeto cozido duplamente, com limão, murta, sal e molho de pimenta, que se tornou um dos preferidos entre os clientes, e os camarões com manteiga de tomate, erva-doce, e azeitonas. E, talvez, para não sentir saudade da simplicidade do Ottolenghi, no andar inferior do restaurante, a cozinha funciona aberta para um ambiente amplo, com uma enorme mesa comunitária.

Além das casas, Yotam revela a sua paixão pela cozinha em livros. Sua primeira obra, escrita em parceria com Sami Tamimi, sócio e chef-executivo do Ottolenghi, que cresceu no lado árabe da cidade de Jerusalém, é batizada de Ottolenghi the Cookbook. Na obra, são 140 receitas variadas, que vão da berinjela marinada com tahine e orégano ao frango assado com açafrão, avelãs e mel, passando pelos bolinhos para chá de lavanda com mel e muffins de ameixa, marzipã e canela.

Em 2010, Yotam lançou um segundo livro, Plenty. A obra mostra a versatilidade do chef, em receitas que mesclam inspirações da cozi- nha árabe à tailandesa, como os cogumelos marinados, com nozes e iogurte com tahine.

Para 2012, com data prevista para setembro, Yotam e Sami Tamimi planejam lançar Jerusalém, um livro com receitas das tradicionais cozinhas judaica, palestina e armênia, com uma releitura moderna.

 

Imperdível!

Em 2011 outro grande desafio para o grupo Ottolenghi: a abertura do restaurante NOPI.

A fachada e ambiente são brancos, mas o vermelho cede lugar para o dourado e ele direciona o pensamento do empreendimento: casual sim; mas adulto e sofisticado.

Com o sucesso do Ottolenghi, Yotam e seus sócios decidiram abrir o restaurante NOPI, no ano passado. Entra em cena o restaurante completo, com capacidade para 100 lugares.  O cardápio é distinto do Ottolenghi, e a preocupação com a qualidade dos ingredientes é mantida. No menu, destaque para o galeto cozido duplamente, com limão, murta, sal e molho de pimenta, que se tornou um dos preferidos entre os clientes, e os camarões com manteiga de tomate, erva-doce, e azeitonas. No andar inferior do restaurante, a cozinha funciona aberta para um ambiente amplo, com uma enorme mesa comunitária.

Depois de toda esta experiência gastronômica, o que eu tenho a dizer é que o Ottolenghi e NOPI nos mostram esta nova direção do cenário da gastronomia em Londres; qualidade, inovação, criatividade, seriedade, frescor, tendência e acima de tudo o desafio de despertar e provocar os cinco sentidos de maneira muito aguçada.

www.ottolenghi.co.uk

 

 

OTTOLENGHI, London, UK

Article by Kiki Felipe for Menu Magazine, Brazil, June 2012, adapted for my blog.

Photos by Brisa Chander

 

The first Ottolenghi deli, bakery, pastry shop opened in 2002. A small shop in Notting Hill.

Today, ten years later: four shops, 200 employees, and the NOPI restaurant opened in 2011.

The clean and white layout and ambience are the same for all shops and the name Ottolenghi in red stamps the façade with passion .

The colours in huge diversity on the dishes. They are vibrant, abundant, ‘sexy’ and tantalise your tastebuds to the top!

The vegetables are prepared in unusual combinations, innovative and with no ‘fear’ to the extreme!

In the window, cakes, meringues, pies and pastries, amazing salads, cookies and jams bring a show of colours, flavours and designs that will at least enable your curiosity to enter, see the inside of the store and taste everything. The atmosphere is casual, relaxed and inviting.

On the inside what you going to find is a world of information, tastes, colours and amazing food.

All dishes are prepared fresh daily. The pastry products are beautiful and delicately decorated. The salads, pies, fish and meat dishes are brought fresh from the kitchen, near lunch hour, so customers can assemble their small meals eating on site or ‘take- away’.

Yotam has established himself as a creative chef, attentive to trends in contemporary food.
He was a journalist, when he arrived in London in 1988 to attend Le Cordon Bleu. He ran the trendy delicatessen Baker & Spice in Belgravia, before opening the first Ottolenghi shop. He writes a weekly recipe column in The Guardian. Yotam reminds us that he is not vegetarian but he knows that Ottolenghi shops have earned fame because of the different innovative ways that grains such as quinoa, lentils or beans and vegetables are prepared and presented. He teaches how to prepare vegetarian dishes that combine with the most diverse beef, chicken or pork and fish dishes.

He gives preference to organic ingredients or those produced locally on a sustainable bias.

Besides the shops, Yotam reveals his passion for cookbooks. His first work, written in partnership with Sami Tamimi, Ottolenghi’s executive chef, who grew up on the Arab side of Jerusalem, is named Ottolenghi the Cookbook. It has 140 recipes, ranging from marinated eggplant with tahini and oregano to the chicken with saffron, nuts and honey, through the lavender tea cookies with honey and plum muffins, marzipan and cinnamon.

In 2010, Yotam released a second book, Plenty. This one shows Yotam’s versatility, with recipes such as mushrooms marinated in yogurt with walnuts and tahini.

Yotam and Sami Tamimi are preparing a new cookbook  Jerusalem, to be launched in early 2012 autumn, with a modern take on recipes of traditional Jewish, Palestinian and Armenian cuisine.

In 2011 , the Ottolenghi group gave themselves another major challenge: opening of their 100-seat NOPI restaurant.

The facade and the environment are white but red gives way to gold, and directs the thoughts of the enterprise: casual yes, but adult and trendy.

Highlight here for the little chicken cooked twice, with lemon, myrtle, salt and pepper sauce, which became a hit among customers.

After this dining experience, all I have to say is that Ottolenghi and NOPI show this new direction of the food scenario in London: quality, innovation, creativity, integrity, freshness, trends – and above all, the challenge of awakening the five senses in a very acute way.

www.ottolenghi.co.uk

Bon Appetite!

2 Comments

Filed under Uncategorized

2 responses to “OTTOLENGHI – Londres / London

  1. Very cool! Wish I could get cafezinho here!

  2. Kiki, muito bom; com certeza quero ir na próxima vez que estiver lá.
    e as fotos estão muito boas, apetitosas, bjs parabéns para as duas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s