Monthly Archives: April 2012

La Fromagerie

Este post é baseado no artigo # 2, escrito por mim, na edição de março/2012 da Revista Menu sobre a “La Fromagerie – o endereço do queijo em Londres”, da série sobre gastronomia em Londres.

Se você é um amante de queijo…Este é o lugar!

Imagens: Brisa Chander

La Fromagerie

“No fim do dia, quando estou voltando para casa, às vezes vejo um entregador de pizza passando em sua motocicleta, tentando chegar ao seu destino em tempo recorde.

Não posso parar de pensar que, quando chegar em casa, vou cortar duas fatias de pão, do tipo ‘italiano redondo’, torrá-los levemente, passar um pouco de vinho branco de sabor frutado sobre cada uma das fatias, adicionar pedaços finos de queijo Gruyére sobre uma das fatias e pedacinhos de queijo de cabra a outra. Isso feito, vou grelhar os pães, até que os queijos estejam derretidos e levemente dourados.

Tudo isso em aproximadamente 8 minutos.

Fast food do meu jeito.”

‘The Cheese Room’, por Patricia Michelson

A La Fromagerie é um destes lugares que você vai e se perde nas horas. Esquece que entrou ali para comprar o queijo de sua preferência, tomar um café, beber uma deliciosa taça de vinho, comer tortas, bolos e pães incríveis. Em um dos cantos do ambiente existe um Cheese Room; um ambiente separado do resto da loja por uma porta de vidro, onde os queijos ficam ‘armazenados’ sob temperatura correta de 12C durante o dia e entre 8/10C durante a noite, depois que a loja fecha e todo o movimento de pessoas termina. A humidade é mantida a 90%, e é tão importante quanto a temperatura.

Na loja, inúmeros eventos, aulas, tastings e jantares são promovidos e, grande parte deles, abertos ao público, onde o objetivo é ‘trazer conhecimento e alegria para todos os participantes’.

Fica claro que para participar você não precisa ter conhecimento antecipado sobre os assuntos que são oferecidos, mas sim, “curiosidade, mente aberta e um espírito ‘aventureiro’ para desfrutar de tudo isso. Eu quero que as pessoas aprendam um pouco e desfrutem ao máximo! Eu quero dismistificar o assunto ‘comida’ para abrir as possibilidades de experimentar alimentos que, antes, as pessoas teriam muita cautela em fazê-lo, e mostrar desta forma, como harmonizar sabores, texturas e vinhos”. Estas são as palavras de ordem de Patricia Michelson, que juntamente com Danny Michelson são sócios-proprietários e fundadores desta ‘mercearia’, delicatessen, café e uma das principais loja de queijos da Inglaterra.

Queijo na Inglaterra é assunto sério. ‘Cheese and Crackers’ – queijo e ‘torradas’ faz parte da vida dos ingleses, como o arroz com feijão faz parte da nossa.

Tudo começou de maneira inesperada há alguns anos atrás, durante uma temporada de ski em Meribel, na região de Savoie, nos Alpes. Patricia terminou o seu dia numa loja de queijos, tentando saciar a fome depois de um dia bem difícil de ski. Terminou comprando um pedaço de Beaufort Chalet d’Alpage; um queijo de sabor frutado lembrando o Gruyère francês. O queijo era tão fantástico que ela decidiu conhecer o produtor e acabou comprando uma ‘roda’ inteira do queijo – 35 kgs – e levou-o de volta pra casa. Foi no pequeno galpão, no jardim da sua casa, que ela colocou a venda os pedaços deste queijo. O que a principio não foi premeditado, transformou-se em um verdadeiro negócio, e a primeira La Fromagerie, em Highbury Park foi aberta em 1992 e a segunda loja em Moxon Street, em 2002.

Estão lá desde um pecorino cenere, um dos 30 queijos italianos de ovelha; o bavarian blue, um dos oito queijos alemães, e até o raclette berghoff, um dos 18 queijos suíços de vaca, para ficar em apenas três exemplos. A La Fromagerie chega a vender até 180 tipos diferentes de queijos durante os meses de verão quando a produção dos queijos de ovelha aumentam.

A procedência dos queijos é extensa: Áustria, Inglaterra, França, Alemanha, Holanda, Irlanda, Itália, Portugal, Espanha, Suissa e País de Gales.

A loja se tornou fornecedora de vários dos mais renomados hotéis, restaurantes e lojas de Londres: River Café, L’Atelier de Joel Robuchon, Theo Randall no hotel Intercontinental, Restaurante Murano de Angela Harnett, Bruce Poole do Chez Bruce.

Patricia Michelson tem 2 livros publicados:

1) The Cheese Room, 2001 – Ganhador em 2002 do ‘Gourmand World Cookbook’ de melhor livro sobre um único assunto.

2) Cheese, 2010, com introdução de Jamie Oliver.

 

No próximo post…Perguntas e Respostas – sobre seleções de queijo, com Patricia Michelson.

Não percam!

La Fromagerie

www.lafromagerie.co.uk

2-6 Moxon Street

London W1U 4EW

e

30 Highbury Park

London N5 2AA

La Fromagerie

This post is based on article # 2, for the series about the food scenario in London, written by me for Menu Magazine, March/2012 – “La Fromagerie – the cheese shop in London”.
If you are a cheese lover … This is the place!
“Every day I open the door to the Cheese Room and roll up the blinds to reveal my ‘treasures’, sitting on their aged wooden shelves on straw mats. And every day I learn a little more about cheese and how I can make them taste of their particular terroir rather than making their flavors. At the end of the day, as I stroll home across Highbury Fields, I may see a pizza delivery scooter roar past me at full throttle, trying to reach its destination by the allotted  time.

I can’t help thinking that when I get home, I’ll simply slice two thin pieces of sourdough bread,  toast them slightly, brush over a fruity tasting white wine, lay slivers of Gruyére on the top of one slice and crumble a goat’s cheese over the other. Then I’ll grill them until they are golden and  melting. Just eight minutes from start to finish.

Fast food my way. ”

The Cheese Room, by Patricia Michelson

photos by Brisa Chander
La Fromagerie is one of those very special cheese stores where you go and spent ‘hours’ there almost forgetting that you are there to buy cheese or drink great coffee or a glass of your favorite wine, eat pies, cakes or buying amazing breads. In one of the corners there is the ‘Cheese Room’ separated from the rest of the store by a glass door, where the cheeses are “stored” in the correct temperature of 12C during the day and between 8/10C overnight, after the store closes. The humidity is maintained at 90%, and is as important as the temperature.
In the store, many events, classes, Tastings and dinners are promoted and, mostly, open to the public where the aim is to ‘bring knowledge and joy to all participants. “The events, tastings and dinners are open to everyone.  “It is all about enjoyment and understanding.  You don’t have to have previous knowledge, but you do have to have curiosity, and open mind to taste and an adventurous spirit!  I want people to learn a little, and taste a lot!  I want to demystify foods and open out the possibilities to try things you would have been hesitant before, and also show how to match and pair flavours, textures, wines together says Patricia Michelson, who along with Danny Michelson are owners and founders of La Fromagerie one of the most important cheese shop in England.

‘Cheese and Crackers’ is a very ‘serious subject’ in England.

It all began unexpectedly a few years ago, during a ski season in Meribel, in the region of Savoie in the Alps. Patricia ended her day in a cheese shop, trying to satisfy the hunger after a hard ski day. She ended up buying a piece of Beaufort Chaletd’Alpage; a fruity flavor cheese reminiscent of the French Gruyère. The cheese was so great that she decided to meet the cheese maker and ended up buying the whole wheel of cheese – about 70 pounds – and took it back home. It was in  her garden shed where she sold this cheese. What at first was not premeditated, turned into a real business, and the first La Fromagerie cheese shop, in Highbury Park, was opened in 1992 and the second shop in Moxon Street in 2002.
There you can buy from a pecorino Cenere, one of 30 Italian goat cheeses, the bavarian blue one of the eight German cheeses and even the raclette Berghoff, one of 18 Swiss cow cheeses giving you  just three examples. La Fromagerie comes to sell up to 180 different types of cheeses during the summer when the production of goat cheese in France increases.
The cheeses come from different countries: Austria, Britain, France, Germany, Holland, Ireland, Italy, Portugal, Spain, Switzerland and Wales.The store became a supplier of several of the most renowned hotels, restaurants and shops in London: River Café, Joel Robuchon – L’Atelier, Theo Randall at the Intercontinental Hotel, Angela Hartnett’s Murano, Bruce Poole of Chez Bruce.

Patricia Michelson has two books published:

1) The Cheese Room, 2001 – Winner in 2002 of the ‘Gourmand World Cookbook’ best book about a single subject.

2) Cheese, 2010, with an introduction by Jamie Oliver.

 Next post … Patricia Michelson will answer few questions about how to set up a nice cheese board.

Do not miss it!

La Fromagerie

www.lafromagerie.co.uk

2-6 Moxon Street

London W1U 4EW

e

30 Highbury Park

London N5 2AA

1 Comment

Filed under Uncategorized

Salada ! Love Salad!

AHHHH! Salada!

2 porções

Ingredientes

1 alface crocante (romana, americana ou outro de sua preferência. Você pode usar diversos tipos de alface se quiser), higienizado

5 damascos secos cortado em tirinhas

30 gramas de Cranberries secos

40 grs de nozes (amêndoas, nozes, castanha de caju, ect. Cruas ou torradas) casquinhas de pão suisso, quebradas em pedaços pequenos

50 grs de mozzarella fresca, partida na mão, ou tiras de muzzarella  ou tiras de queijo parmesão

Sugestão do Molho para Salada: 1 colher de sopa de azeite de oliva extra-virgem, sal e pimenta-do-reino a gosto, gotas de limão siciliano. Após adicionar o molho, sirva imediatamente.

LOVE SALAD!

 

2 servings
Ingredients
1 crispy lettuce (Roman, iceberg or another of your choice. You can use different kinds of lettuces or greens if desired), washed properly
5 dried apricots cut into thin strips

30 grams of dried Cranberries 40 grams of nuts (almonds, walnuts, cashews, ect. Raw or roasted)

Croutons or thin whole wheat crackers broken into small pieces

80 grams of fresh mozzarella or grated mozzarella  or freshly grated Parmesan cheese

Suggestion for salad dressing: 1 tablespoon of extra virgin olive oil, lemon drops. Salt and black pepper to taste.
After you add the dressing, serve immediately.

 

2 Comments

Filed under Uncategorized

Alimento. Mais que um nutriente. Decifrando o prazer `a mesa/ Food. More than a nutrient. Deciphering the pleasure of eating

O meu encontro com a Dra. Vânia Assaly aconteceu de forma interessante. Nos conhecemos em uma palestra que resultou numa frustração diante as nossas expectativas. Mas como tudo na vida, o outro lado da estória foi que eu tive o grande presente de conhecer a Vânia.

Poucos meses depois nos encontramos prá conhecer um pouco mais do trabalho que cada uma desenvolve, e claro que eu não poderia deixar de convidá-la para contribuir no meu blog e compartilhar com vocês um trabalho tão bacana.

Com muito carinho. Sempre. Kiki

‘Nosso corpo é um complexo sistema integrado em mágica coerência com o universo em que está inserido.

Ao longo da nossa existência deciframos os sinais e estímulos deste  universo escolhendo acoplar aquilo que nos preserva.

Assim é o alimento, traduzido no hipotálamo como  representação de prazer, moléculas temperadas que sustentam a vida através dos tempos.

Deste alimento extraímos a nutrição, elementos que colocam a funcionabilidade bioquímica  do corpo humano.

Um pedaço de pizza, uma porção de castanha ou uma saborosa romã diferem na qualidade de sinais que serão integrados a este  sistema operacional, decodificando no corpo forma e função.

Mas como temos controle destes sinais que mantém nossa harmonia ?O que buscamos saciar e como reconhecemos as mensagens internas de fome e saciedade?

A ciência já nos traz muitas respostas sobre este código dinâmico de sobrevivência da espécie, mas cada um de nós tem em seu arquivo cerebral  muitos segredos sobre o que nos faz escolher determinados alimentos.  Lembranças simbólicas associadas ao  paladar nos trazem a lembrança de encontros, de sociabilidade, de aquecimento, e da qualidade que constantemente associamos ao alimento,  o prazer de compartilhar uma refeição.

No sistema límbico, uma área especifica do hipotálamo, é onde são decifrados estes sinais, assim como mantém nossa temperatura corporal, controla a sede, e sinais de prazer sexual … Com tantas mensagens passando por este sistema, não é difícil imaginar que algumas vezes temos linhas cruzadas ou mal traduzidas, ou até mesmo complementares.

Buscar algo quente quando o corpo se resfria, desejar algo muito calórico quando estamos no inverno, ou buscar algo prazeroso e doce quando estamos com a dor da solidão.

Sobre o aspecto nutricional de cada alimento, cada refeição nos oferece um valor nutricional que será revelado pela nossa memória ancestral. Sinais denunciam em fórmulas matemáticas a construção da matéria complexa e vital, que é o corpo humano.’

VANIA ASSALY – CRM 58002  

Nutróloga

Endocrinologia e Prática da Medicina Funcional Preventiva

Instituto de Prevenção Personalizada

www.vaniaassaly.com.br/

Rua Gironda, 185. São Paulo, SP. (11) 38847612

 

Dr. Vânia Assaly and I met at a lecture that resulted in frustration concerning our expectations towards it. But like everything in life, the other side of the story was that I had the great gift of meeting her.

A few months later we got together again to share with each other about the work that each one develops, and of course I could not help but ask her to contribute to my blog and share with you.

Love. Always.
Kiki

 

 

‘Our body is a complex integrated system in line with the magical universe in which it appears.

Throughout our existence we decipher the signals and incentives to engage in this universe by choosing what we preserve. So is the food, translated in the hypothalamus as a representation of pleasure, temperate molecules that sustain life through the ages.

This extract food nutrition, elements that put the biochemical functionality of the human body.

A piece of pizza, a serving of nuts or a tasty pomegranate differ in the quality of signals that will be integrated into this operational system, decoding the body form and function.

But how do we have control of these signals that keep our harmony? What we seek to recognize and satisfy the internal messages of hunger and satiety?

Science has brought us many answers to this code ‘survival dynamic of the species’, but each of us has on file many secrets about the brain that makes us choose certain foods. Memories associated with the symbolic taste comes the recollection of meetings, sociability, heating, and quality that consistently associate with food and the pleasure of sharing a meal.

In the limbic system, a specific area of the hypothalamus, is where all  these signals are deciphered, as well as maintaining our body temperature, controls the seat, and signs of sexual pleasure … With so many messages ‘passing’ through this system, it’s not hard to imagine that few crossed lines or misunderstandings can happen.

Looking for something more caloric through winter times or looking for something fun and sweet when we are with the pain of loneliness.

The nutritional aspect that each food gives you through a meal, provides a nutritional value that will be revealed by our ancestral memory.’

 

VANIA ASSALY – CRM SP 58002

Nutrologist

Endocrinology and Practice of Preventive Functional Medicine

Institute for Personalized Prevention 

Rua Gironda,  185  São Paulo, SP, Brazil

Phone (5511) 3884.7612  – www.vaniaassaly.com.br/


1 Comment

Filed under Uncategorized

Revista Menu, Abril 2012/Menu Magazine, April 2012

Continue reading

Leave a comment

Filed under Uncategorized

e-table

A Revista Menu/Brasil/Fevereiro 2012 publicou a matéria ‘Uma Mesa Interativa’, escrita por mim, que faz parte de uma série sobre lugares interessantes do cenário gastronomico de Londres que vem sendo publicada ao longo do primeiro semestre de 2012 em razão das Olimpíadas.

Compartilho aqui com vocês mais informações e imagens muito interessantes sobre este software que vem despertando o interesse de restaurantes mundo afora.

Imagens: Brisa Chander

Londres é pub, é fashion, é chuva, é hype, é Família Real (goste ou não).

Sem dúvida, tudo de bom!

Durante muito tempo foi considerada uma péssima referência da gastronomia mundial. Na última década este cenário mudou radicalmente, e a cidade fervilha de cafés, excelentes restaurantes, semanas de espera para se conseguir uma mesa em alguns restaurantes e chefes renomados mundialmente.

Agora, Londres apresenta ao mundo da gastronomia uma tecnologia de ponta para restaurantes, integrando ambiente, iluminação, software, comida, imagem e acima de tudo, um ‘atendimento excelente’.

Estamos falando do que se tem de mais inovador no momento na área de tecnologia para restaurantes.

E-Table. Mesas interativas. Uma experiência única, interessante e muito eficiente.

As e-tables já cruzaram fronteiras e já foram implantadas na Holanda, e em breve estarão chegando em vários países.

O que é e-table?

As mesas do restaurante funcionam como “telas de computador”, recebendo imagens projetadas por um sistema de computador e através deste ‘computador’ onde você faz o seu pedido, que chega na cozinha em formato de comandas. Você pede a sua bebida, entrada, aperitivos, prato principal, sobremesa, café ou chá, visualiza os mapas do metrô e ainda é possível pedir o taxi para te levar embora.

Cada convidado tem a sua ‘própria mesa HD’ e os pedidos são individuais.

Através de um touchpad você faz a sua escolha do cardápio e a imagem aparece no espaço reservado ao prato. Desta forma você pode visualizar o seu pedido.

Você ainda tem a oportunidade de assistir na sua mesa HD, através de telas individuais e câmeras, toda a movimentação da cozinha e jogos interativos também estão disponíveis como: jogo da memória e batalha naval.

Sem duvida, uma das opções mais interessantes são as inúmeras possibilidades de background para cada mesa. Estão disponíveis belos designs, padrões, paisagens e quando o assuntos é reunião de negócios, o software possibilita a ‘estampa virtual’ da marca do cliente sobre as mesas e também mostra o cardápio que foi especialmente criado para o evento.

Isso traz ao restaurante um ambiente colorido e diferenciado.

O que estão todos se perguntando: não existe garçon?

Os garçons estão presentes sim. Dão assistência no que for necessário, trazem os pedidos para a mesa, a conta, e em momento algum ficam isolados num canto esperando serem solicitados.

Sem dúvida alguma, uma experiência virtual de dar água na boca.

Mais informações:

www.e-table-interactive.com

http://www.inamo-restaurant.com

http://terratv.terra.com.br/videos/Noticias/Mundo/4201-378956/Em-restaurante-futurista-mesas-funcionam-como-tablet.htm

http://www.sabado.pt/Multimedia/Videos/Insolito/Retaurante-Inamo.aspx

E-TABLE

The food magazine Menu / Brazil / February 2012 issue published the article ‘E- Table’ written by me. This article is part of a series about London ‘food scenario’ that is being published along the first semester of 2012 concerning the Olympics season.
I’m sharing here some info and images about this very interesting software that is getting the attention of restaurants worldwide.

photos by Brisa Chander

If you think about London you will be thinking: amazing, fashion, hype, pubs, trendy, rain and … the Royal Family (like it or not).

So far, so extraordinarily good.

Long ago, London was a world benchmark for low quality in gastronomy. But in the last decade that has changed radically: the city now bustles with cafes, excellent restaurants, long waiting lists for a table (at some restaurants) – and world-renowned chefs.

Now, London has added another feather to its culinary cap with a remarkable new technology for the restaurant customer, and one that involves everything: ambience, lighting, software, food, image and, above all, excellent customer service.

It really is a most innovative step forward in the technology of eating out! It’s called: E-Table.

What is it?

The tables in the restaurant are inlaid with built-in ‘screens’, on which you can make your orders – which reach the kitchen through a computer system. You can order your cocktail, wine, starter, appetizers, main dish, dessert, coffee, tea, brandy or liqueur – and even check the underground map, or at the end of your meal ‘order’ your cab.

Each guest has a table/screen, and orders are made individually.

Using a touchpad, you make your choice from the menu, and the image of the dish is shown ‘on the plate’ – so you can see what you are ordering.

So you get the opportunity to check out the kitchen’s work, in advance – and you can even play interactive games, with a choice ranging from a memory training game to ‘battleship’.

Further interest is provided by numerous possibilities for the background image, available for each table: beautiful designs, patterns, landscapes, and so on… and for business meetings, the software can display the client’s brand, on the screen/table, and even show a menu created especially for the event.

This gives the restaurant a distinctive and colourful environment.

The system employs numerous devices and cameras – and does not depend on the Internet. Everything is automated: it creates a direct link between the kitchen and customer.

Well — what you are all clearly wondering: … Are there no waiters?

Yes, the waiters are present! They provide assistance where and when necessary, bringing your orders to the table – and are never huddled away in a corner.

Will this catch on? Yes, I think!  E-tables have already crossed British borders. They are in use in the Netherlands, and expected to reach other countries very soon.

Undoubtedly, a mouth-watering ‘virtual’ experience.

More info about the E-TABLE software

www.e-table-interactive.com

http://www.inamo-restaurant.com

http://news.bbc.co.uk/1/hi/programmes/click_online/9642504.stm

http://gb.zinio.com/pages/i.BusinessMagazine/Mar-12/416214531/pg-10 

1 Comment

Filed under Uncategorized